quarta-feira, 26 de agosto de 2009

ENCONTRO DO CAMINHO DA GRAÇA NO JAPÃO


...uma proximidade sem intimidade!

por Caio Fábio


Ler: Marcos 6: 1 a 7.

É tão fácil acostumar-se a tudo, até ao que seja sublime e divino...
É uma desgraça, mas a gente se acostuma até com Deus...
É o tempo, é a familiaridade, é a certeza que não é fé...


Mas o fato é que por todas essas razões e muitas outras, a gente se acostuma a tudo, até ao Espírito Santo...

Sim, podemos nos habituar a Deus...

Por vezes é por causa do “Deus” que não é Deus...; o da religião...

Ou seja: por vezes nos acostumamos apenas porque “Deus é performance” em tais lugares de ensino...

Outras vezes é Deus mesmo Aquele que se conhece..., porém, à semelhança dos de Nazaré, que ficaram tão próximos a Jesus que o perderam de vista, podemos também dizer que conhecemos a turma toda de Jesus: sua mãe, seu pai, seus irmãos e irmãs... — e, justamente por causa disso, não discernirmos o privilégio de Sua presença conosco...

Nesse caso, como em qualquer caso, se diz:
“E admirou-se da incredulidade deles; e entre eles não pôde fazer nenhum sinal, senão apenas curar alguns doentes e expulsar algumas enfermidades”...

Ora, esse mal vai de tudo a tudo...

Afinal, se açambarca até Deus... por que não atingiria cada outra área de nossa vida?

Acostuma-se a se ter uma mulher maravilhosa e fiel, que nos ama, que nos atende em boa vontade e feliz, com admiração e carinho, e com tudo o mais de bom...

Acostuma-se a ter um marido amigo e solidário, fiel e companheiro...
Acostuma-se a ter filhos bons, e tem-se como certo que assim seja...
Acostuma-se com comida, bebida e até com sexo...
Sim, tudo pode cair no nada da atitude blasé, e que dá como certo que tudo de bom seja um dever da vida para com a pessoa...
Até que se fica sem...
Até que a necessidade imponha a realidade...
Até que já não seja...

Então os muxoxos do habito dão lugar aos gemidos da ausência...
Então se vê que o tempo nos cegara...
Então se enxerga que a proximidade pode afastar os acostumados ao que era bom... do que era bom...; mas que não era tratado como tal...

O problema, todavia, é que na maioria das vezes perde-se tudo e não se enxerga ou discerne nada em nós mesmos...

Jesus insiste...
A vida insiste...
O amor insiste...

Mas muitas vezes nem a insistência de Jesus, da vida e do amor nos comovem...
Sim, não é raro que Nazaré não perceba o Nazareno...

Nazaré diz: “Ah! É Ele!? Não conhecemos a turma toda Dele?”...

Assim é que se cria a proximidade sem intimidade, o conhecimento sem discernimento, a familiaridade sem solidariedade, e se troca o sublime pelo nada...

O que fazer?...

Creio que só haja uma salvação...

Tem-se que admitir todos os dias que somos tão ruins que nos acostumamos até com Deus, quanto mais com tudo o mais...

Assim, talvez, quem sabe, nos lembremos que até Deus quer amor, quanto mais todos os demais, que são tão importantes para nós, mas que, pelo habito, caíram na rotina das nossas percepções embrutecidas...

Esta é a Síndrome de Nazaré!...
Leia: A SÍNDROME DE NAZARÉ

Este é o mal de todo homem, ou de quase todos...

Que sejamos salvos de tal dormência onde quer que ela se expresse em nossas vidas!

Amém!


Nele, que pode tudo, mas que não pôde quando não se quis,


Caio

sábado, 22 de agosto de 2009

A “igreja” aceita tudo, menos morrer e servir...

por Caio Fábio


O ideal do Evangelho se faz acompanhar de vida, mensagem e finalidades segundo o Evangelho, e nunca segundo a aflição da “igreja” de não perder espaço e poder...

Na religião o que importa são os fins...
Os meios são relativos...
E qual é o fim?
Levar Jesus às pessoas?
Certamente não, mas sim levar as pessoas para a “igreja”...

Se dissessem à “igreja” que o mundo inteiro creu em Jesus, mas que ninguém quer mais saber de “igreja”, ainda assim a “igreja” não ficaria feliz, posto sua preocupação de fato não seja com Jesus, com o Evangelho e com o povo, mas apenas com ela mesma...

O fim/finalidade da "igreja" é manter-se existente, não viva...

Por isto a “igreja” aceita tudo, menos morrer e servir...

Na realidade tudo tem apenas a ver com estratégia e espaço, ainda que haja pessoas bem intencionadas no processo...

Para que Jesus tenha algo a dizer à “igreja”, ela antes precisa levantar-se e dizer: “Mestre! Decido dar metade dos meus bens aos pobres; e se nalguma coisa defraudei alguém, restituo quatro vezes mais!”...

Então Jesus dirá à “igreja”:
“Hoje entrou salvação nesta casa!”

Antes disso Jesus nada tem a dizer àquilo que se auto-intitula Igreja sendo apenas “igreja”...

Se a “igreja” quer salvação precisa crer no Evangelho...

Do contrário, já se perdeu com o mundo...

Caio

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Carta: SILAS, CERULLO E A “PROFECIA SONIESTINA” DA ESPOSA DO KAKÁ…

Por Caio Fábio













----- Original Message -----
From: SILAS, CERULLO E A “PROFECIA SONIESTINA” DA ESPOSA DO KAKÁ…
To: Caio Fábio
Sent: Sunday, August 09, 2009 12:26 PM
Subject: Morris Cerullo não prega o Evangelho

Morris Cerullo não prega o Evangelho

Nesses 25 anos de vida em Cristo já tive a oportunidade de tomar café à mesa de alguns ícones da Igreja Evangélica atual. Já estive com Jabes de Alencar, Silas Malafaia, Jimmy Swaggart, T.L. Osborn e a cúpula da igreja quadrangular, mas nunca estive com Morris Cerullo. Mas, como tudo aquilo que vem de nossos irmãos norte-americanos é recebido sem muito discernimento pela igreja evangélica tupiniquim, o nome de Morris Cerullo sempre foi muito “venerado” no meio pentecostal.

Felizmente tenho atravessado um processo de desconstrução mental, psicológica, emocional e espiritual nesses últimos anos quanto à igreja evangélica e, consequentemente, já tinha me desiludido com Morris Cerullo, depois de ler suas declarações do poder da fé na famigerada teologia da prosperidade, sua Bíblia da prosperidade e batalha espiritual (patrocinada aqui no Brasil por Silas Malafaia) e seu famoso dom do “riso”, exaustivamente mostrado no You Tube.

Todavia o “profeta” (segundo Silas Malafaia) estava para se apresentar, ao vivo e à cores, no programa “Vitória em Cristo” (também de Silas Malafaia). Não poderia deixar de ouvir a palavra desse “grande profeta do Senhor”.

Durante 40 minutos eu e minhas filhas ficamos sentados na sala em frente à televisão, ouvindo o tal profeta (entrevistado por Silas Malafaia e interpretado pelo irmão do pastor Jabes de Alencar), falando sobre crise financeira mundial e sobre a prosperidade determinante na vida do cristão.
Ao final da entrevista ele lançou um “desafio profético”: como estamos no ano de 2009, o Senhor “revelou” pra ele que se cada telespectador enviar $ 900,00 para o programa de Silas Malafaia o Senhor não permitirá que aquele crente passasse pela crise financeira mundial. E lógico, que tudo muito acompanhado de textos do Antigo Testamento do livro de Deuteronômio, de Samuel, dos Reis e do Apocalipse.

Detalhe importante: em nenhum momento esse homem falou de Jesus e da graça do Evangelho!
Ao final minha filha comentou: “Teria que trabalhar 3 meses para poder ajuntar esse dinheiro e assim enviar pro dito cujo programa e me “livrar da crise financeira mundial”. Minha filha é jovem, e é esse tipo de “evangelho” que essa geração está ouvindo!. Expliquei à ela que tudo aquilo era um grande engano e se, aplicarmos as palavras de Jesus que disse “que a boca de um homem fala do que o coração está cheio”, ela deveria ignorar as profetadas do engano do Dr. Morris Cerullo.

Ah! Lembrei-me também de uma ocasião, que voltava de um trabalho numa cidade vizinha, o sol causticante das 13:00h, e uma jovem com um bebê no colo acenando freneticamente na beira da estrada. Meu bom senso ofuscado pelo sentimento de dó dela e da criança me fez parar para socorrê-la. Já dentro do carro fui surpreendido quando ela me pediu R$ 20,00 para poder comprar alguma coisa para ela comer e leite pro filhinho e que, em troca ela faria qualquer coisa que eu quisesse. Dei-lhe o dinheiro, e disse que não precisava fazer nada e a deixei em frente de um posto de saúde no centro da cidade.

Não sei por que a imagem daquele episódio da jovem mãe e seu filhinho, veio-me a lembrança quando eu estava assistindo Silas Malafaia e o “Dr.” Morris Cerullo pedindo R$ 900,00 de oferta de fé para livrar os crentes da crise mundial?

Reinaldo de Almeida
_________________________________
Resposta:

Meu irmão: Graça e Paz!

Antes de tudo quero responder a questão dos necessitados em relação ao que os “profetas da ganância” dizem; e faço isto apenas pedindo para que você leia o seguinte link no site: OS ESPÍRITAS “SAMARITANOS” E OS PASTORES “SACERDOTES” E “LEVITAS”…

Somente hoje a sua já me é a 10ª carta mais ou menos de gente reportando a mesma coisa... Alguns ainda se escandalizam com o Silas, o Jabes, o Cerullo, e com o diabo...
Fico pasmo!...
É como ver espinhos sendo plantados e ficar surpreso quando nascem espinhos!... e não uvas!
Só pra você ter uma idéia, o Cerullo já foi crente e já pregou com muita paixão e unção!...
Pasme! Mas é fato; o que mostra como o coração é enganoso sempre, até pregando supostamente o “evangelho”...
No ano que eu mudei de volta para Manaus com minha família, ainda adolescente, em 1970, o Cerullo esteve na A.D. de Manaus, no tempo que o Pastor Alcebíades Vasconcelos ainda era o pastor [bons tempos!].

Sim, o Cerullo esteve lá creio que duas vezes, se não estou enganado... Não fui a nenhuma... Não era convertido e não me interessava por “evangelistas”... Mas meu pai foi todas as noites e voltou encantado...

Cerca de 10 anos depois eu o conheci nos Estados Unidos e o vi pregar... Voltei já triste e chocado... Já não era...

A seguir, ainda nos anos 80, meu amigo Lacio Pontes e sua esposa Bárbara, haviam trabalhado num fim de semana numa “Cruzada” do Cerullo e haviam saído de lá aos vômitos, quando viram os “paralíticos” sendo preparados 1 hora antes do “show”..., a fim de que na “hora das curas” eles ficassem “curados”...

Havia até ponto de luz no lugar das “cadeiras” previamente marcadas para terem os seus andantes e sadios paralíticos se levantando na hora de começar a sugestão e a histeria...
Os “bons” foram curados...

Os doentes caíram das arquibancadas tentando...

Meus amigos saíram de lá aos vômitos...

Depois o Custódio Rangel da Associação dos Homens de Negócio do Evangelho Pleno, trouxe o bicho pra cá outra vez... Cerullo e seus filhotes de maldade..., como o tal do Benny Himn.

No Brasil os discípulos da loucura já eram muitos, mas aquele maluco da Bahia, o que recebe ligação telefônica do anjo Gabriel, esse Atila Brandão, tomou o papel Tupiniquim do Cerullo...

Hoje o Cerullo está “morto” na América... Então, virou “levantador de fundos sob o mandamento profético” nos lugares do mundo nos quais a ignorância e a desinformação ainda pagam muito bem.

Atualmente existem pessoas vendendo o “dom de levantamento de fundos de dinheiro de crentes”...

Sim, o cara chega e combina com o pastor: “Você me convida um fim de semana, me dá um alvo financeiro, e eu levanto o dinheiro, mas 35% ficam para mim. Certo?”

Ora, a maioria dos pastores diz “sim”.

Hoje cedo alguém me escreveu:
Gostaria de saber a sua opinião acerca dum testemunho que ouvi agora pouca da esposa do jogador Kaká. Segundo ela, “a crise afetou todo o mundo e, por isso, ninguém tem dinheiro ultimamente, no entanto Deus concentrou o dinheiro do mundo no Real Madrid para que o clube pudesse ter à condição financeira de contratar o kaká”. Fiquei um pouco chocado com a percepção dela, principalmente pelo fato de eu ter visto uma reportagem em uma determinada emissora, que mostrava pessoas em Moçambique comendo ratos porque não tinham comida. Te pergunto: Será que Deus concentrou boa parte do dinheiro para abençoar uma pessoa em detrimento de milhares e milhares que estão comendo ratos para sobreviver? Não conheço o KaKá e nem a sua esposa e também não quero julgar o casal, pois acredito eu, que eles devem ajudar muitas pessoas, mas mesmo assim eu não conseguir entender o testemunho dela pela razão que coloquei acima.

Pois, bem, é assim que as mentes estão...

No caso do Kaká, coitado, ele e a esposa são escravos espirituais do Estevam e da Sonia; e mulher do Kaká já foi ordenada lá...; e o Kaká agora é presbítero do Estevam, e até teve que pregar um “sermão” particular para o Estevam a fim de ser “aprovado”... Ora, creia, quem disse isso a eles, ao Kaká e a esposa, foi a Sonia ou o Estevam, ou ambos; pois, é do dinheiro do Kaká que eles dependem muito hoje... Portanto, a menina, a esposinha ainda criança, está apenas ecoando a “Profecia Soniestina” ou “Estevamtina” do casal...

Meu irmão, se Deus fosse assim, creia, ele seria o Diabo!

O Kaká ama Jesus e sua esposa também. Mas o Deus que ensinam a eles, nas maldades que faz, na “Sua” falta de amor pelo que Ele mesmo criou, e pela “Sua” diminuição até ao nível da mesquinharia do “Cristianismo” — tornou-se o diabo, do ponto de vista conceitual, e não Deus.
Outro escreveu:

Amado pastor Caio,

Escrevo esta mensagem primeiro para parabenizá-lo pelo trabalho neste site e no seu ministério.

E também pra comentar algo que acontece no meio "evangélico".É que quando pensamos que já vimos de tudo, que não pode ficar pior, aparece o Silas Malafaia, no seu programa do ultimo sábado, apresentando uma entrevista com Morris Cerulo, no qual pedem 900 reais.E depois que a pessoa mandar "voluntariamente" os 900 reais, ela irá prosperar.(O Silas antes condenava a teologia da prosperidade...mas agora).

Ah, e tem mais, o Silas manda a gente acreditar no Morris Cerulo, pois ele é um Profeta de Deus.Confesso, que até gostava de assistir ao programa do pastor Silas Malafaia,eu sempre examinava a pregação e tirava o que era bom e de acordo com a Bíblia,mas de uns tempos pra cá, esta difícil de agüentar o programa dele.E depois dessa entrevista,acabou pra mim....

Veja o vídeo da entrevista:
http://www.youtube.com/watch?v=QXyTDsbjsnc

Obrigado, e Deus continue te abençoando grandemente.

Ora, a este amado irmão digo o mesmo.

E mais: digo que o Silas nunca creu em nada... Ele crê no que seja conveniente... Quem viver verá... O compromisso dele é com ele e com o que possa lhe dar alguma coisa... Foi comido pela ganância enquanto anda enganando e sendo enganado...
Eu não sei como ainda há pessoas que têm dois neurônios pelo menos, mas que, mesmo assim, ainda esperam colher uvas de espinheiros...

Ontem eu vi aquele novo na “praça”, o tal do Waldomiro, iniciando seu caminho de desgraça..., pedindo dinheiro o dia todo...; e ainda se diz grosso e mal e educado a fim de ter seu jeito “tosco” como pretexto para dizer o que queira sob o disfarce da semi-ignorância, o que não é verdade, posto que ele seja “cobra criada da Universal”, e tenha o Didine, ex-macedeano e universal, como seu “promoter ministerial”...

Tudo isso terá o justo juízo de Deus!...

Eles estão semeando espinho e pensam que ceifarão uvas...

Não! Quem planta espinhos não ceifa outra coisa senão espinhos... É que a ceifa ainda não chegou, mas se aproxima galopando...

Quem se entrega para ser espiritualmente cuidado por eles, fica assim como conta este vídeo do Youtube que um mano muito amado me mandou hoje cedo:
http://www.youtube.com/watch?v=stsNNmp7Al0&feature=related

Infelizmente é isso!...

Nele, que diz: “Sai dele povo meu!”,


Caio
10 de agosto de 2009
Lago Norte
Brasília
DF

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

A TEOLOGIA É INIMIGA DA FÉ?

por Ivo Fernandes


Algumas pessoas argumentam como eu sendo professor de teologia consigo conviver com as duras críticas que o Caio Fábio faz a mesma, sendo eu mesmo participante do movimento que tem ele como mentor. E minha resposta quase sempre choca as pessoas, pois afirmo que concordo com o Caio, pois sei que ele dirige toda a sua crítica à teologia que se arroga o direito de senhora do saber, dona da Verdade. Porém, existe aquilo que podemos chamar de “boa teologia”.

A teologia pelo significado do termo é o estudo sobre Deus, porém ao termo “Deus” pode ser atribuído os mais variados sentidos. Desta forma não podemos falar de uma teologia, mas de teologias. E mais, por ser “Deus” em seus mais diferentes aspectos uma realidade da qual nenhum homem se esquiva podemos dizer que todo homem é um teólogo.

A diferença entre as teologias será mais de posição do que de apresentação, afinal todas, ou pelo menos a grande maioria proclama para si o direito de ser a única correta ou a melhor. Sendo assim para mim, a boa teologia será justamente aquela que não chamar para si tal direito. É aquela que está voltada para Deus como Senhor da Misericórdia, que alcança os homens independente de suas teologias.

A boa teologia, para mim, é aquela que tem somente por assunto as ações de Deus na história. Sim, as ações, porque Deus mesmo não pode ser coisificado, tornado idéia, princípio, conjunto de doutrinas. Deus é sempre maior do que nosso pensamento a respeito Dele e ainda sim Livre para Ser o que quiser até mesmo menor do que possamos pensá-lo.

A boa teologia é na verdade uma teantropologia, ou seja, o estudo do homem em relação a Deus.Diante de Deus toda teologia não passa de uma analogia humana. São especulações humanas, é uma resposta ante ao Mistério e não o Mistério em si, é uma palavra e não a Palavra. E toda boa teologia sabe isso de si, não arroga para si o título de autêntica, nem mesmo pensa interpretar legitimamente a Palavra, na verdade é justamente em sua fraqueza que a teologia confirma a Palavra e não em suas certezas.

A Palavra é Deus falando aos seres humanos quer esses ouçam ou não. A teologia é o homem falando. A Palavra é a Boa-Nova, a boa teologia é um anúncio da Boa-Nova e não a Boa-Nova mesmo. A Boa-Nova é a revelação de Deus como Pai e Senhor e do homem como criatura e filho. É da Aliança entre Deus e o homem que trata a Palavra, a boa teologia deve prestar serviço a essa Aliança.

A nossa salvação não repousa sobre um conjunto de teorias ou idéias, nem depende do nosso entendimento da “doutrina”. Não é a informação sobre Cristo que salva, mas a própria pessoa de Cristo. A boa teologia será aquela que consciente disso fará o que lhe impossível não fazer, refletir sobre a Fé. Na verdade, essa é a impossibilidade dos homens. Fomos criados como seres pensantes, ignorar isso é um desastre, porém a boa teologia sabe da limitação do pensamento humano.

O homem encontra-se com a Palavra e este fato inevitavelmente será interpretado. Foi da interpretação do encontro com o Cristo Vivo que nasceu a doutrina cristológica, e quem poderia dizer que ela não nos serve?

Quando Paulo afirma que Jesus “foi entregue por causa das nossas transgressões, e ressuscitou por causa da nossa justificação” (Rm 4:25), de igual modo está dando uma interpretação aos fatos da morte e ressurreição de Cristo. Isto é o que se vê em toda a Escritura, especialmente nas epístolas. Porém é o fato que deve está em evidência não a apresentação doutrinária do fato. Afinal o fato ganha sempre novas dimensões onde assim Deus aprouver, visto que Deus não está preso a nenhum grupo étnico, religião, tempo ou espaço.

A teologia será inimiga da fé todas às vezes que esquecer seu lugar de serva da Palavra que é Livre, mas lhe será útil todas às vezes que em sua limitação conduzir o home até o lugar onde tudo fica cativo a Cristo.


Ivo Fernandes
6 de agosto de 2009
www.ivofernandes.blogspot.com

PROVÉRBIOS DO EVANGELHO!

por Caio Fábio


Neste texto quando eu aludir a Consciente, referir-me-ei ao homem sensato; e quando falar do Tolo..., estarei falando do Insensato ou do Simples em sua ingenuidade patológica ou deliberada em razão de processos de auto-engano.



1. O Consciente ouve toda verdadeira repreensão com temor grato, mas o Tolo sente-se ofendido por cada verdade que poderia ajudá-lo.

2. O Consciente sente todas as dores deste mundo e com elas lava-se em doçuras, mas o Tolo extrai da dor apenas a amargura.

3. O Consciente foge de toda luta que não seja pela vida, mas o Tolo faz de toda discordância uma questão de salvação do mundo.

4. O Consciente sente para si e medita com paciência cada coisa, mas o Tolo levanta-se e age conforme o primeiro impulso.

5. O Consciente ama a todos, mas o Tolo fica amigo de qualquer um que o trate bem naquela hora.

6. O Consciente sabe que amizade é um trabalho de tecimento e tecelagem, mas o Tolo acha que uma boa bebedeira faz amigos.

7. O Consciente vive e deixa viver, embora não negocie seus princípios jamais; mas o Tolo sente a obrigação de se impor sobre todos os diferentes.

8. O Consciente faz o bem e se esquece, mas o Tolo o conta como currículo.

9. O Consciente vive muito e fala pouco acerca de tudo o que já viu, mas para o Tolo toda primeira descoberta o torna o senhor de todos os saberes.

10. O Consciente ama a todos, até aqueles de quem não goste; mas o Tolo ama apenas os que lhe agradam com consentimentos, e desgosta-se de todos os que não sejam como ele.

11. O Consciente vê em cada outro humano um altar, mas o Tolo somente vê altares em lugares onde tijolos e pedras tenham sido erguidos.

12. O Consciente sente a espera da Volta do Filho do homem todos os dias, mas o Tolo crê que poderá prever alguma coisa.

13. O Consciente vê o mal e dele foge; mas o Tolo acha que é domador de demônios.

14. O Consciente sabe que a cada semente corresponde seu próprio fruto, mas o Tolo crê que pode semear uma natureza e colher outra.

15. O Consciente leva em consideração cada acusação que recebe e nelas medita, pois crê que delas possa tirar algum proveito, ainda que em silêncio; mas o Tolo perde a chance de se enxergar até nos exageros dos que o acusem.

16. O Consciente sabe que sua melhor certeza ainda é parcial, mas o Tolo julga ter atingido o discernimento pleno.

17. O Consciente pode esperar o tempo certo, mas o Tolo nunca perde uma oportunidade de ventar os seus impulsos e precipitações.

18. O Consciente sabe que somente o trabalho contínuo e perseverante estabelece a credibilidade, mas o Tolo quer se tornar sábio e respeitado da noite para o dia.

19. O Consciente é tentado e não se julga forte para dialogar com a tentação, mas o Tolo a leva para casa e lhe serve chá, julgando que poderá educá-la.

20. O Consciente sabe que seu pior diabo é a sua cobiça, mas o Tolo atribui ao Diabo externo todas as culpas.

21. O Consciente pode morrer sozinho, mas se saberá acompanhado e dignificado pela presença de anjos, mas o Tolo quer ter um cerimonial até para morrer.

22. O Consciente se satisfaz com a serenidade de seu ser, mas o Tolo somente é feliz se não houver nele nenhuma serenidade.

23. O Consciente não se obriga pelos caprichos de nenhuma maioria, mas o Tolo somente anda conforme os ditames majoritários.

24. O Consciente mede e discerne o peso de sua importância na vida, mas sabe que ela sempre será relativa; porém o Tolo julga que sem ele tudo o que foi feito não permanecerá.

25. O Consciente confia no vento e no seu poder incontrolável de espalhar sementes, mas o Tolo acha que se ele não industrializar o plantio..., sua existência não será produtiva.

26. O Consciente vive pela fé; o Tolo, porém, vive do que ele ache que possa controlar ou manipular.

27. O Consciente nunca não vai com a cara de alguém apenas por não ir, mas o Tolo desgosta de tudo e todos que lhe pareçam concorrência.

28. O Consciente sabe que deve amar a todos, embora tenha o privilégio de gostar de muitos; mas para o Tolo amor só se deve ter por quem se gosta pela concordância.

29. O Consciente sabe que toda vingança aumenta o mal muitas vezes mais, e, por isto, nunca recorre a ela; mas o Tolo prefere acabar o mundo a não vazar seu ódio como vingança.

30. O Consciente somente gosta de ganhar em parceria, mas o Tolo quer sempre ganhar sozinho.

31. O Consciente vive para fazer fácil a vida, mas o Tolo ama as complexidades.

32. O caminho do Consciente fica dia a dia mais simples, mas o caminho do Tolo vai se tornando um labirinto.

33. O Consciente cresce em todas as tribulações, mas o Tolo lamuria e cresce em desconfiança em cada uma delas.

34. O Consciente transforma traumas em lições, mas o Tolo os alimenta como álibis.

35. O Consciente não despreza nada e a tudo pondera, mas o Tolo elege as suas fontes.

36. O Consciente não vê em ninguém um competidor, mas apenas mais um auxilio; o Tolo, porém, vê em cada outro dom uma ameaça à sua vida e pregresso.

37. O Consciente foge da justiça dos homens, e busca conciliação pacifica; mas o Tolo ama os tribunais.

38. O Consciente aposta no trabalho, mas o Tolo aposta no jogo.

39. A Conquista do Consciente permanece, posto que seja de natureza espiritual, e, portanto, não passageira; mas o ganho miraculoso do Tolo desvanece-se antes do proveito.

40. O Consciente ama a simplicidade dos simples e a calma dos idosos, mas o Tolo apenas dá atenção ao que lhe possa auferir ganhos de alguma forma no instante.

41. O Consciente ama o mandamento da Vida, mas o Tolo acha tudo uma obrigação.

42. O Consciente busca renovar-se todos os dias, mas o Tolo busca adaptar-se todos os dias.

43. O Consciente crescerá em consciência...

44. O Tolo viciar-se-á em seus modos, e neles morrerá...; a menos que se converta à verdade que liberta a mente para aprender a sabedoria.



Nele, Jesus, de Quem aprendi que todas as coisas acima são Provérbios da Vida no Evangelho, deixo estes pequenos provérbios a fim de ajudar a simplificar o seu entendimento quanto ao fato de que a vida é conforme a semente,



Caio
2 de agosto de 2009
Lago Norte
Brasília
DF

domingo, 2 de agosto de 2009

Carta: QUANDO OS IRMÃOS E OS DEMÔNIOS SE ASSEMELHAM...


----- Original Message -----

From: QUANDO OS IRMÃOS E OS DEMÔNIOS SE ASSEMELHAM...
To: Caio contato Fábio
Sent: Sunday, August 02, 2009 2:22 AM
Subject: Chutando o Pau da barraca.


Querido Caio,

Escrevo ao irmão para compartilhar as angústias e as dificuldades promovida pela instituição. Acredito que você já viu este filme em sua vida. Eu peço apenas que tolere meu desabafo mas ignore os efeitos do enfado das palavras.

No ministério, tive alguns probleminhas que ainda me angustiam.

Quase que minha família era "soterrada" por um oficial de uma instituição histórica (a qual você conhece muito bem) que trabalhei há algum tempo atrás. A partir de então, tenho procurado não depender do ministério e infelizmente amigo, tenho tentado "proteger minha prole", desses "demônios consagrados"- perdão pela expressão, e confesso que me sinto cansado em face de sempre me ver em circunstâncias de tensão.

Após uma reunião administrativa com o Conselho, fui resolver algumas pendências particulares e quando voltei, minha esposa havia sido socorrida (estava grávida de três meses), após levar uns gritos do referido oficial como desabafo em virtude da referida reunião.

Pensei em denunciar a instituição e tive que vencer a mim mesmo em face de batalha travada interiormente.

Angustiei-me, sofremos juntos e procurei viver... Mas não fui o mesmo.

Na reunião anual, fui designado (indicado e eleito) para presidir uma comissão de finanças e de verificação dos livros e notas fiscais. Observei a ausência de algumas notas. Sem maiores problemas, falei com o oficial tesoureiro e aprovei o livro com as respectivas observações. Quando fui compartilhar com o colega de ministério, este, com o dedo em riste, disse-me em alto e bom tom "que Deus não estava mais me usando como seu instrumento".

Esta atitude foi o suficiente para que eu, após cinco anos, mudasse de região.
Já em outra região e igreja, tivemos um crescimento nunca visto pelo Concílio daquela região. Ovacionado publicamente, pensei haver conseguido dar a volta por cima e que já havia superado toda situação outrora vivida.

Até que um dia, em uma reunião com o meu Conselho Local, um dos nossos oficiais, transtornado por querer administrar seu próprio dízimo, resolveu levantar com as mãos fechadas e vir em minha direção ameaçando-me de soco (me envergonho de vivenciar e saber que isto é muito normal institucionalmente); e a "turma do deixa disso" logo chegou junto e segurou a fera (somado ao conceito de não concordar com a "dominação deste oficial" na igreja), para que não se chegasse as vias de fato!

Por se tratar de ser sogro de um líder local e regional renomado, saímos da igreja e fomos morar em uma garagem de carro doada pelo prefeito da cidade - passamos 09 meses, até que o concílio viabilizasse outro local.

Saliento que desde a situação na região anterior passei a trabalhar paralelo ao ministério.

Desta vez fui convidado para ser Chefe de Gabinete, situação que não foi bem vista por minha denominação.

Lá vamos nós novamente... Ufa! Mais conflitos e impacto na família.
Na outra cidade, fui educador Social e professor contratado pela Prefeitura local (vidinha de Pastor de interior é assim mesmo e acredito que em sua experiência é possível que tenhas vivenciado essa situação); e por ter uma política acirrada e que envolvia os irmãos da igreja, foi complicado também.

Com o resultado da política, a igreja afetada e a família impactada, tivemos que sair da cidade.

Hoje, meu filhos já estão criados graças a Deus! São dois filhos lindos. O mais velho está concluindo Direito e servo de Deus (imagine... na instituição que nos marcou tanto). A mais nova freqüenta conosco a paróquia - instituição, que por opção sirvo hoje.

Mas confesso do fundo do meu coração meu amigo... Sinto-me cansado e com vontade de chutar o pau da barraca!

Tô cansado de politicagem, barganha institucional e burocracia engessada.

Não tenho crise com minha vocação, mas me sinto entediado com o discurso igrejeiro!

Perdão por cansar seu juízo e tomar seu tempo. Na realidade, nunca conversei estas coisas com alguém que pudesse confiar, por medo de que tudo fosse jogado em minha cara e mais uma vez, minha família tivesse que sofrer!

Se não quiser, não precisar responder.

Rogo suas orações e acredite: Falar com você já me ajudou bastante!

Com carinho,
______________________________________
Resposta:



Mano amado: Graça e Paz!



Meu irmão, fora algumas igrejas locais ainda sóbrias e meigas [são poucas, mas ainda existem], as demais viraram a mesma coisa ruim..., apenas com expressões de perversidade circunstancializada pelo modelo de gestão local; mas fora isso é sempre tudo igual...

Portanto, me conte algo novo, uma perversidade nova, algo que não tenha ouvido ou visto aos milhares, pois, o que você sofre, é o que faz sofrer a milhares de outros como você, nas mesmas circunstancias e angustias...

E pensar que supostamente tudo isto seja para “servir a Deus”!...

Só pode ser muita gozação do diabo mesmo!...

Mano, macumba não é feita com cachaça, galinha preta, sapo, farofa e panos vermelhos... Não! Estes são apenas os objetos que servem simbolicamente à macumba real, que não é feita de nada além de más intenções ou de suposto poder de manipular e interferir na vida de outro ou na da própria pessoa que faz o rito.

Porém, saiba:

É o ânimo do macumbeiro que faz a macumba, não os aparatos que ele leva e usa como simbolização...

Ora, neste sentido muitas e muitas reuniões de Concílios, Diretorias, Sínodos, Convenções Denominacionais e Conselhos Locais, são macumbas das piores; posto que o ânimo seja o mesmo da macumba, com o agravante de que a macumba é mais honesta nas suas intenções e confissões de objetivo, enquanto na macumba de igreja o que se vê é dissimulação de ódio, inveja, arrogância, impiedade e maldade disfarçados de “meu amado” para cá, de “meu amado” para lá, mas no fim o resultado é o mesmo: alguém sairá ferido, sentido, humilhado, cansado, esgotado, drenado, cínico, amargurado, pobre de fé ou destituído dela...

A grande ironia do diabo no assunto é que ele incitou o Sinédrio de Israel a matar a Jesus...; e hoje [aliás, desde há pelo menos 1700 anos] obriga os crentes em Jesus a viverem dentro dos Sinédrios das Igrejas, as quais viraram apenas um ajuntamento de fariseus neuróticos, sacerdotes incrédulos, escribas ranhetas e mauzinhos, e um monte de gente lesma, sem espinhela e sem coragem...

Ora, estes últimos são os que ficam calados ante a perversidade “oficial”, feita em nome de Deus e de Seus supostos interesses...; e que apenas se aproximam do injustiçado depois...; e apenas dizem: “Puxa! Pegaram pesado com você. Quero que saiba que não concordei...”

Sim, não concordam, mas não dizem nada...

Sua história, bem como a dos milhares que conheço a vida toda, bem assim como a dos que me escrevem contando a mesma coisa todos os dias — me deixa ante um quadro de ilogicidade que, para mim, assemelha-se nas circunstancias à seguinte história.

Sua história é como a de um homem que não sabia que estava preso... Nascera no presídio... Então, um dia, viu que aquilo ali não era a vida, era a cadeia... E mais: soubera que a porta estava aberta para ele... Assim, quando desejasse poderia sair... Entretanto, por razões psicológicas e de profunda insegurança, até mesmo de condicionamento e vício aos modos da cadeia, o homem nunca saiu de lá...; embora tenha ficado acostumado a dizer para si mesmo todos os dias: “Isto não é vida! O que faço aqui nesta cadeia?” Porém, mesmo assim, nunca decidiu sair de lá... Ao contrário: criou os filhos que teve no mesmo ambiente, e ainda fica feliz porque um deles aprendeu a gostar na vida na cadeia...

Para mim uma história como a sua em nada difere da invenção acima!...

Sim, é tão louco e absurdo como o é viver numa horrenda cadeia de abusos por vontade própria e ainda crer que aquela seja a vontade de Deus.

Paulo diria a você: “Se podes tornar-te livre, aproveita a oportunidade!”

Um homem com sua capacidade de mudar daqui para ali, de se virar em uma garagem com a família, e que pode trabalhar com as próprias mãos para se sustentar, de fato só fica na cadeia cujas portas estão abertas para que se saia quando se queira, se você quiser ficar aí...

Não sou da Universal, mas digo a você: PARE DE SOFRER!...

Chega; você não acha?

Temo que você abomine isso tanto quanto precise disso!

Sim, toda hora vejo pastores de queixando das mesmas coisas [e outras bem piores], mas não largam o osso do monstro de jeito nenhum...

Quando o cara se vicia em fazer de fêmur de dinossauro a sua chupeta, saiba: é muito difícil desfazer tal gosto, mesmo que a pessoa diga sempre: “Esse osso não tem mais tutano algum!...” — posto que tenha se instalado na pessoa aquele espírito que Jesus denunciou nos insatisfeito-indecisos de Seus dias, os quais eram inagradáveis até por Deus; pois, tudo o que sabiam era se queixar como meninos mal-humorados em uma praça, que se queixam de todas as alternativas de brincadeiras ou de levezas, embora não parem jamais de se queixar de qualquer que seja a alternativa...

Sua história já foi mais vista e conhecida do que o filme/desenho do Pica Pau...

Assim, mano, o que posso lhe dizer é que você só está sofrendo isto porque decidiu sofrer isso...

E mais: você só sofre isto porque tem a fantasiosa esperança de que se possa pular no abismo e voar para as nuvens...

Não dá!...

Afinal, você crê que sementes de espinheiro produzam uvas? Ou crê que o plantio de mandacaru possa produzir figos?

Portanto, saiba meu irmão: Não posso dizer nada a quem sofre sem precisar sofrer e seu causa nobre para sofrer, se não um sonoro “Saia daí!”

Entretanto, saiba: se você ficar, então, não se queixe nunca mais!...

Sugiro que você leia meu site [www.caiofabio.com] e que aprenda quais sejam os verdadeiros caminhos de serviço a Deus no mundo...

Vi que se você tivesse alguma familiaridade com o que ensino aqui no site, já há muito que você estaria resolvido acerca disso tudo.

A prova de que você não lê este site é que se o lesse você não brigaria com o Presbítero que faz gestão pessoal do dízimo... Afinal, mano, o dízimo é dele; e você não é o fiscal de Deus; e a “igreja” não é a Receita Federal do Céu; e, portanto, cada um doe com amor e onde bem desejar...

Entretanto...

Você não tem idéia de como é bom ter Presbitérios informais, que sejam reunião de irmãos/amigos; Conselhos que apenas aconselhem; Presbíteros que sejam apenas presbíteros, ou seja: experientes; Pastores que sejam apenas apascenta-dores; Mestres que sejam apenas sábios; Diáconos que sejam apenas garçons do amor, e não Diabolus; gente que seja apenas humana...

É assim que a Igreja é.

Ora, o que não for assim já não é igreja, mas apenas uma nomenclatura...

Pense e decida!

Mas saiba: seu tempo de lamurias tem que acabar... Ou você sai e se pacifica no amor livre e na fé simples...; ou, então, fica e aprende a gostar da cadeia...

É isso aí, mano querido!

Receba meu beijo carinhoso e meu desejo de que o Espírito Santo o ilumine e o alegre, posto que servir a Jesus entre irmãos não pode ser como viver com demônios...



Nele, que nunca perdeu tempo em lugar algum que não quisesse a Palavra,


Caio
2 de agosto de 2009
Lago Norte
Brasília
DF

Blog Widget by LinkWithin